Ampol saúda o novo ministro da Justiça, o delegado da PF, Anderson Torres

Entre as mudanças recentemente operadas no Executivo, pelo governo federal, está a ida do ex-secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, o delegado Anderson Gustavo Torres, para o Ministério da Justiça e da Segurança Pública do Brasil. A Associação Nacional das Mulheres Policiais do Brasil parabeniza o presidente Jair Bolsonaro por mais essa decisão de um nome bem cotado, inclusive por outros governos, com experiência em ciência policial, investigação criminal e inteligência estratégica, parte do corpo da segurança pública deste país.

Para a associação e outras entidades representativas, a novidade dá esperança às categorias que têm pela frente a problemática da Reforma Administrativa e viram, recentemente, muitos direitos serem retirados.

“Além disso, para todos os policiais, o momento de ascensão dos representantes que estão abertos ao diálogo pode colocar em pauta as melhorias que as categorias demandam, como a prioridade na vacinação, já conquistada em algumas regiões, e a valorização dos que estão na linha de frente”, destaca a presidente da Ampol, Creusa Camelier.

Cabe destacar que, como ministro, o delegado da Polícia Federal, Anderson Torres, será responsável pela corporação a qual faz parte, a PF, a Secretaria Nacional do Consumidor, o Departamento Penitenciário Nacional, a Força Nacional de Segurança, a Fundação Nacional do Índio, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e o Departamento de Migrações.

Além de Torres, o presidente Jair Bolsonaro nomeou:

  • Para a Casa Civil, o General Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira;
  • Para o Ministério da Defesa, o general Walter Souza Braga Netto;
  • Para o Ministério das Relações Exteriores, o embaixador Carlos Alberto Franco França;
  • Para a Advocacia-Geral da União, André Luiz de Almeida Mendonça;
  • E a deputada federal Flávia Arruda para a Secretaria de Governo, outro grande nome favorável à luta dos policiais brasileiros.
COMPARTILHAR